<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=184990051839905&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

5 dicas para criar uma carta de vinhos para seu restaurante

5 dicas para criar uma carta de vinhos para seu restaurante

Elaborar uma bela carta de vinhos para seu restaurante não é uma tarefa simples. Vários fatores devem ser levados em conta e não basta pensar apenas na harmonização com o cardápio.

Independente dos seus gostos pessoais, uma boa carta de vinhos precisa estar em consonância com a personalidade do estabelecimento, o estilo dos clientes e, também o ticket médio. E, se você quer agradar o seu público com uma diversidade de rótulos, também é necessário considerar o uso de uma adega para manter as condições adequadas de vinhos brancos, tintos e espumantes.

Além do vinho ser uma bebida atrativa para a maioria dos clientes, o produto tende a proporcionar uma ótima margem de lucro. Portanto, a carta de vinhos é importante saber vendê-lo! E o primeiro passo para isso é estar informado sobre todos os detalhes que devem constar na carta, assim como as etapas para a sua elaboração. Por isso, listei algumas dicas bem úteis que te darão uma mãozinha na hora de criar a carta de vinhos para seu restaurante. Vem comigo!

Identidade visual e layout

IDENTIDADE VISUAL E LAYOUT

A carta de vinhos é parte do seu restaurante e, portanto, é importante que ela siga a mesma identidade visual. Além disso, pensar em seu layout, ou seja, no seu formato, que precisa ser simples, claro e de fácil manuseio.

Organização na ordem correta

ORGANIZAÇÃO NA ORDEM CORRETA

Os vinhos devem aparecer na carta por ordem geográfica, iniciando sempre pelos vinhos da região e do país onde está localizado restaurante. Aqui, também é possível iniciar com os vinhos do país cuja a cozinha do seu restaurante se inspira. Na sequência, faça a divisão por gêneros seguindo a ordem aperitivos, fortificados, espumantes, vinhos brancos, rosés e tintos. Por fim, liste os vinhos especiais de sobremesa e digestivos.

Informações obrigatórias e opcionais

 INFORMAÇÕES OBRIGATÓRIAS E OPCIONAIS

Sobre cada vinho que consta na sua carta, você deve indicar o nome completo, a variedade de uva de sua produção, o DOC e a safra, se for o caso. Além destas informações “obrigatórias”, você pode colocar algumas opcionais como o nome da vinícola, a graduação alcoólica, a casta, o produtor etc. Considere que, para os amantes de vinhos, essas informações são fundamentais.

Não se esqueça de informar o preço do vinho considerando o valor da taça e da garrafa. Afinal, algumas pessoas jantam sozinhas! Também é importante pensar em um meio de identificar a disponibilidade da bebida (como uma etiqueta) para que o cliente não escolha um rótulo que não está disponível naquele momento no estoque.

Uma dica bacana para facilitar a inserção de informações de novos rótulos ou até mesmo apontar a disponibilidade é utilizar uma carta de vinhos eletrônica – uma forma bastante acessível, moderna e funcional para todos.

Menu explicativo

MENU EXPLICATIVO

Outra dica interessante é apontar logo abaixo da descrição de cada prato do menu o vinho que melhor harmoniza com aquela opção. Esse pequeno detalhe auxilia a escolha de quem não entende muito do assunto mas gosta de apreciar um bom vinho junto às refeições. Sem contar que o cliente pode se apaixonar mais facilmente pelas criações e harmonizações servidas pelo seu restaurante e recomendá-lo pelo serviço especial.

Composição

COMPOSIÇÃO

Uma boa carta de vinhos para restaurante precisa ter uma composição completa, que realmente atenda às necessidades dos clientes. Uma dica de composição básica é uma carta com quatro tipos diferentes de espumantes, opções de vinhos brancos, garrafas com as principais uvas de vinhos tintos e duas opções de vinhos de sobremesa.

  • Espumantes: um nacional, um champanhe, um prosecco e um rosé, de qualquer nacionalidade;

  • Tintos: não podem faltar Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah e Pinot Noir, além de algumas uvas mais regionais, como a chilena Carmenère ou a argentina Malbec.

  • Nacionalidades: também devem constar vinhos do novo e do velho mundo. O ideal são dois rótulos de cada país produtor principal, como Espanha, Portugal, Itália, França, Argentina, Chile, África do Sul e Austrália. E, claro, não pode faltar um rótulo brasileiro!

Ah, tão importante quanto a carta de vinhos, o sommelier tem papel fundamental dentro de um restaurante. Ele é responsável pela carta de vinhos, a escolha dos produtos adequados para o perfil do estabelecimento, a montagem da adega e a ainda mantém a harmonia dos produtos, oferecendo o vinho mais adequado ao cliente.

Gostou das dicas? O seu restaurante já tem uma carta de vinhos? Confira os nossos rótulos e se inspire ainda mais!

Comprar Adega de Vinho: tudo o que você precisa saber

Comentários:
0